sábado, 26 de junho de 2010

DEIXO :


deixo,
com desleixo,
nossa amizade,
e não me queixo,
da possivel verdade.


murmuram,
pois tolices estipulam,
com certa pretensão,
minha paciência furam,
como um arpão,
já que suas palavras em mim perduram,
e pinduram,
na conta,
porque pensam que muito tempo duram,
na ponta,
do meu sobressalto,
assalto,
do meu bom senso,
incauto,
gesto, que torna o momento tenso,
e penso,
se melhor não seria,
manda-los pastar,
temeria,
apenas,
que em minha porta,
às duras penas,
não importa,
pusessem-se a defecar,
no meu esforço em ser gentil...
que adianta se vão considerar,
todavia lhes mando...
um recado,
calado,
tentando, cismando,
outrora,
aos que vieram,
que fossem embora,
para não mais...
esforço não considerado, cobrar-me,
pois atitudes tais,
faz-me afastar-me,
desses boçais,
cujas presenças,
causam-me uma instantânea indiferença.



ESPERO QUE TENHAM GOSTADO ^^

Nenhum comentário:

Postar um comentário