domingo, 6 de junho de 2010

ESTRELAS PELA JANELA



a noite se fez soberana,
como se viesse sorrateira,
tornando tudo,parte de seu vasto imperio,
e suas estrelas,eu posso ver pela janela,


dia obscuro,
sentimento oculto,
pelas sombras tornando,
tudo como estou por dentro,
noturno,
soturno,
com meus pensamentos oriundos,
de lembranças deprimentes,insanas,
fantasiosas,
assombrosas,


as estrelas são vistas pela janela,
a noite torna-se acolhedora,
com seus mistérios,
e a sina,de tantos que perambulam pelas ruas,
no dilema desse espetáculo envolto de trevas,
no qual a lua está a contemplar.


estrelas brilham pela janela,
e no muro de pedras,
vejo os cantos de escuridão,
que se salvaram da luz,além dos vidros,


a minha alma,
caminha insone,
pela escada velha,
depois de tanto tempo,
ainda como se fosse hoje,
o dia da guerra da qual voltei.
e das lágrimas de desespero as quais presenciei.


aqui estou,
a tanto tempo,
admirando as estrelas pela janela,
como se o tempo nunca se passase,
solitário,
fazendo de mim uma lembrança perdida e sombria.








3 comentários:

  1. ameiii muito foda!
    vc e um otimo poeta!
    parabens^^

    ResponderExcluir
  2. here is marllon (i think)

    eae kara maneiro seu blog, muito show gostei

    _.┌─┐_-_┌─┐
    _.│▒│___│▒│
    _.│▒│___│▒│
    _.│▒│▒|▒│▒│
    ┌┴─┴─┐-┘─┘
    │▒┌──┘▒▒▒│
    └┐▒▒▒▒▒▒┌┘
     └┐▒▒▒▒┌┘

    ResponderExcluir