segunda-feira, 14 de junho de 2010

POLÍTICO :

caçem todos os mal paridos no congresso,
pensando que mandam na minha vida...
que se foda a constituição brasileira,
parasitas no senado de brasília,
corruptos malditos,
roubando o futuro de nosso páis,
a velha andando na rua,
pedindo a salvaçao,
o garoto drogado na rua pedindo esmola no chão.


desmascararemos suas farsas,
e seus discursos hipócritas,
e seus projetos insanos,e cheios de estupidez.
escória da sociedade,divididas em partidos,
mafia, crime organizado,
de ladrões,criminos aplaudidos,
pelos miseráveis,pelos banqueiros,
são todos marionetes,
da ignorancia,da letargia,
estão todos infectados por um virus cruel,
estão todos ludibriados pelo cancro,pelo fel,
daqueles que humilham a sociedade fracassada,
que nem ao menos vêem o que acontece,
por trás dos panos do espetáculo, sórdido.


desigualdade social,
fato fatal,
injustiça da sociedade capitalista,
capitalismo do congresso nacional,
estorção,
estelionato,
sociedade pseudo feudal,
as vozes caladas,inertes, com medo,
do poder,da ditadura inrustida,
das leis insanas,
que nada mais faz do que tornar o ser humano escravo,
das ilusões tiranas .


maquinas vivas,
que não se encontraram,
na individualidade,
vivem como uma produção,
como se fossem o rebanho de ovelhas,
da religião da riqueza,
hey!!! você que beija seus dólares,
que está abraçando a única perspectiva da sua vida vazia,
que agora nada mais é do que um pedaço de papel ,
sem nexo, sujo,sem vida.


hey, desgraçado,
se afogue nos mares de dólares,
hey,construa um muro,
para que os que antes você beijou,
não entrem,no patrimônio público,
hey, coloque guardas armados para proteger,
seus filhos arrogantes,que espancaram um mendigo,
que sem eira nem beira vão para o abismo de diamantes.


hey!!! grite !!!
o caminho é cheio de buracos,
abrindo a boca com seus dentes,
de fantasmas espreitando as ruas imundas,
de demônios armados,
de encostos vivos,drogados,
de olhos ocultos pelas paredes cinzas e o céu tomado,
pela neblina escura e triste,
de um país tornado,um mar de trevas,de inércia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário