quinta-feira, 22 de julho de 2010

ANJO MACABRO :





imortal é o mal,
envolto pela face de um anjo,
tão inocente,
de perversidade, tão fatal.


olhar angelical,
um querubim,
olhos desprovidos de crueldade,
ao que suas entranhas,
embebidas de fealdade.


trevas de um confim,
escuridão profunda no seu olhar,
criança da noite,
fez do mal algo a se deleitar.


caminha pela cidade,
não há mais honra,
sua realidade,
arraigada na obscuridade,
verme carniceiro,
consumido pela insanidade,
lhe apraz o sangue,
se satisfaz com a dor.


carrega consigo um bíblia,
um amor tão sorrateiro,
vislumbrando as trevas noturnas,
percorrendo o cativeiro,
onde jazem as almas soturnas.


vítimas não assumidas,
sepulcras recordações,
retrógradas, tão despidas,
de remorço, de emoções sentidas.


cotidiano tão desgraçado,
é culpado,
anuviado,
embaçado,
pelas imagens tristes,
dos que sofreram...
na fenda que abriste,
enegrecera,
na tal terra,
a qual pusera,
suas preces,
agora nada pudera,
fazer aos que descriam,
em seu paraíso, seu inferno,
as quais fitaram, sua face macabra...


voa aos céus noturnos,
esgueirando-se nas sombras,
das ruas, caminhando, um desalmado,
pela noite, um anjo macabro pelo mal, tornado.


Um comentário:

  1. Essa poesia está d mais
    Você escreve mto bem
    Amo sua poesias

    bjus <3

    ResponderExcluir