sexta-feira, 9 de julho de 2010

NÃO ACEITO SEU PERDÃO :

não aceito seu perdão,
não beijaria sua mão,
nem rebaixar-me-ia,
a prostrar-me na escadaria ...


igreja ressaltada,
pela praça tão sombria,
sua salvação foi entregada,
às garras dos corvos das colinas frias.


tanto sangue do passado,
deixou uma mancha sombria,
véu de dor, fé ardilosa, és fria,
pois senão, um fantasma na sacristia.


quantas almas vagam ?
quantas almas pagam ?
mortas pelos anjos,
que se fazem nas paredes, arranjos.


terras que presenciaram,
tanto sangue, das tantas derrotas,
o fogo da morte, lembranças remotas,
és cruel, és o véu ... dos que creditaram fé, à vossa pureza.


minhas lágrimas caem,
envoltas,
de revoltas,
anuviada de ódio ...
meu ócio,
desta névoa, meu ópio,
de tantos dogmas,
meus joelhos sangraram,
de tantos dogmas,
lograram distantes minhas esperanças,
de tantos dogmas,
segui minhas andanças...
de tantos dogmas,
banhei minha terra de sangue !


não aceito seu perdão,
não beijaria sua mão,
nem rebaixar-me-ia,
a pedir sua salvação ...





















espero que vocês tenham gostado, eu sinceramente achei boa... mas bien ... comentem aee ^^

Nenhum comentário:

Postar um comentário