sexta-feira, 19 de novembro de 2010



RECANTO ESCURO :


desconjure a maldição,
desfacele a horrenda prisão,
que sobre tu abatera-se...
é noite !
cantam espíritos às ruas loucas,
estamos nós apenas, sós no escuro,
ninguém nos descobrirá.



centenas de "imorais" delitos,
às madrugadas blasfêmicas,
luzes encobrindo nossos feitos deleitos...
eis cotidianas naturais práticas.

vidraças desmascaram os leitos...
a trilha das esquinas assombradas,
- seguir-las, assim faremos !


destrua o que prende-te,
antes que venham buscar-te,
os mistérios ocultos evocam teu nome,
e a magia negra arde noturna...
liberte-se do que escraviza tua alma.


descortine engendrado desejo
em ti, arraigado, visceral.
heresia,
um lampejo,
incondicional...
queimar intrinseco,
neste recanto escuro.








Nenhum comentário:

Postar um comentário