terça-feira, 2 de novembro de 2010


VÍS E VAGAS LEMBRANÇAS TRAÇADAS:


deu-me anseio de traçar tais notas... caminhar sob o passado lembrado vagamente, tratado sarcasticamente, reluzindo-me a cada dia que passa insano, uma ideia sórdida. afinal! como dito por Dante... "cabeça vazia, oficina do diabo"... pois sim! dou-me ao desfrute de cometer blasfêmias satânicas, um tanto cretinas... principalmente quando se trata de viver nesse fim de mundo onde me encontro, que entretanto faz-se uma das melhores cidades que tive o desprazer de viver. turismo, eis que demasiado forte em algumas épocas... e tão entrego-me às expectativas dum bom feriado, enredado às eleições e finados. logo tomo-me por deparar a realidade, quase ninguém aproveita finados... muitos recolhem-se às memórias dos parentes já partidos. penso um instante, creio eu que deveria homenagear meus avós... recolhidos à sua decrepitude, e que recentemente... quem sabe um dia vou até vossos túmulos! posso fazer oferendas como os antigos... quem sabe eu não mijo lá na cova dos velhinhos. penso ainda... como eram ruins... aqueles calhordas infelizes, retrato da miserabilidade humana. tão me corrói em amargura umas vis e vagas lembranças traçadas depois de tantos anos, como podem esses infelizes perdurar tão odiosos em minha mente ? por instantes -idiotas, não conseguiram estragar meu dia ! - q'eis salvo ao ressoar do tornar à mulher amada.




essa é uma crônica que eu escrevi. sinceramente eu não me acho bom para escrever esse tipo de coisa... crônicas não são o meu forte... mas de vez em quando cismo em fazer uma. e então vos deixo esse troço que eu escrevi... e a imagem... bem, Van Gogh é legal... rsrs

Nenhum comentário:

Postar um comentário