quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Decadência humana


presencie sentado frente ao circo, verme magnata,
contempla estes símeos suas almas vendendo,
fita-os, afrouxando tua pomposa gravata,
deleita-te co'a degradação humana acontecendo...


gradual, tão quão uma carniça apodrece
os parvos alienaste, sua conta enriquece
a cada vil instante decadente
impondo merda guela abaixo dessa gente

lavrando conformada cultivados inconformismos,
já tão em farsas e egoísmos arraigada,
divulgando massivamente pútridos moralismos
porém, prossegue esta tua infeliz corja missionária

seguindo com a ingênua plateia imbecilizada...

às ruas percebe-se o caótico efeito,
mutados hábitos, vestuários, um político eleito...
fizeste de tua audiência, uma tragédia ordinária!

putrefa-se o resquício de moral conquistada,
por estas marionetes da própria ignorância

aplaudindo toda a fútil repugnância
pela televisão apresentada...

ansiando num iluso insano padrão se adequar,
como gado estúpido aguardando alguem lhes tocar,
rendendo-se à pederastia, à canalhice, o adultério,
subsiste obsoleta a massa de atrofiados, sob tal poderio...

tolos tornaram-se "gênios", e estes ultimos lendas,
abrem-se as estarrecedoras fendas
do abismo intelectual,
vigora a decadência pseudo-cultural...


Nenhum comentário:

Postar um comentário