segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Macabras Abstrações





como atroz me tens, por tais tons cingir?!
infindáveis léguas, de vívido horror a inflingir,
sobre tu, à vista, uma realidade paralela, catatônica,
em cada distinto traço qual, que expurga vossa dogmática atônica;
mensuras sequer, a sensação de os meus olhos ter?
fio nenhum de animação material, se pode despreender,
fitas... constroem-se e desconstroem-se famintos,
cada belo elemento sedento de tua divina paisagem,
a consumar a sangria, em prol da própria linhagem,
contempla meu quadro senhora!... os traços indistintos...!

analisa, o sangue e a estamina que inferniza,
cada manifesta causal criatura que matiza,
um corpo inteiro, de infindáveis membros díspares,
cuja vital essência sopra, a levar os fetos das árvores,
e paira sob as veias por mui sós loucos navegadas...
desfruta o espetáculo, das hostís químicas transmutadas
em infindáveis ressurreições, e inimagináveis ardentes formas e cores;
por vós, disto, distraídos, "distados", e sem dedicados altares...
que de um sacro livro ter, é realmente merecedora,
e lhes fossem dada, como a impagável chave esclarecedora!

observa! obscuras, no obstante onipresentes dinastias,
ao painel protelam, - em cada fenda habitantes,
minusculas odisseias em nós, sujeitos mutantes,
a esse predito destino de imensuráveis proporções;
nesse ímpio desatino de incalculáveis dimensões!
intrincados nós de espíritos, em desnovelo, ao embaraço,
inconstantes pairando sob o além do negrume do espaço...
paralelas parcelas pensantes
somos,
donos
da inadquirível
eternidade
inexistente,
tão belo e incoercível
presente
incompreessível,
ser o ser vivente,
imortal,
desprovido
de bem ou mal,
a subjugar a matéria,
e jamais deveras ter morrido
senão se ressarcido
por sua temporária valia...
...
contempla meu quadro senhora!... os traços indistintos...!
frente a vós agora em chamas, o "ridículo" sem tela...!
a lhes ditar o "horror", que aqui se tanto vela,
o dado elixir aos porcos mui "bem distintos"...





Um comentário:

  1. UAU! Acidez, verdade e estrutura em perfeita sintonia...Amor, ficou incrível (:

    ResponderExcluir