terça-feira, 8 de novembro de 2011

O Aniquilador

sentes tê-lo perdido... o controle da situação?!
lacerei as garras, pulsantes ainda, em tua nefasta mão,
de dor gritas, inebriado, à falta dos membros fantasmas,
levantaste, porém, enervado aturdido, e ao reagir te espasm
as,

tu podes consigo deter, até mais poderes que os meus,
legiões aterrar, usando os parvos discursos teus...
afronte meu caminho, e eu o destruirei sem nenhuma piedade,
quebrarei tuas pernas, realizarei o que nominas atrocidade,

cuspirei teu semblante,
lhe farei no horror, um infante,
ao pisar suas mãos, de punhais traiçoeiros,
aos bueiros, ligeiros

seguindo,
despindo
teu empirismo
vaidoso,
teu egoísmo
imperioso,
teu despeito
desrespeitoso
a despeito

do que posso... quero;
dar lhe uma monstruosa surra,
bater co' um ferro,
nesta sua cara de gente burra,

sentir tuas vísceras, nos meus dentes estralarem,

e do seu corpo ver, cada célula desmaterializar,
quando as chamas, d' um psicótico fogaréu, sádicas dançarem...
- com vadias, vou tua sangrenta fortuna gastar...

não haverá divina vingança!
farei teus corruptos deuses beijarem a sargeta,
eliminarei qualquer esperança,
de na miséria de espirito, que tu novamente nos remeta,

existe algo instrínseco
infindável
dentro de mim,
incomparável,

voráz, assim
como o eco
gritando pr' a eu te matar,
e o paraíso conquistar
de vez,
aniquilar a sordidez;
de toda essa insultate hierarquia,
de latrocínio e hipocrisia...


vê-lo dissipar-se em labaredas irremediáveis,
iníquo traste, de meios asquerosos lamentáveis,
a intento de insolente usurpar-me, o direito de ir e vir...
queime!... ... queime lenta e atrozmente, até não mais existir...




Eis que o fiz esta tarde, ficou ótimo, e alguns dias antes eu já tinha a ideia de fazer um poema assim... repleto de ódio como não fazia desde um tempo... huehuahe
se curtiu comenta...

2 comentários:

  1. Gostei, logo, postarei =)
    Eu gostei particularmente desse poema, pq eu senti um ódio nele, que eu partilho n raras vezes! Mto bem articulado tbm amor, ficou incrível...Vc mata sua namorada de orgulho!hehe
    amo vc s2

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, a dosagem de ódio e leveza se misturam, algo épico talvez lembrando até Conan o Bárbaro, essa foi a minha primeira impressão após a leitura... Mas hà de ter melhores tempos para um sentimento mais profundo enraizado ao longo do poema, aguarde...

    ResponderExcluir