quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Um pardal



partiram todos, pairando ao não mais ver,
sozinho aguardava, um pardal a não saber,
como era os demais seguir, no azul emergir,
distantes, as negras núvens puseram-se a rir,
lamentosa, fitava a acácia o ninho, impotente,
e a cada ventar, ficava a queda mais evidente;

se foram um por um, jurando o retorno,
havia um cravo alí, inestimável adorno,
agardava inatingível, crente incansável,
aflingindo o tácito semblante, de quem o assistia,
perdurando... perdurando, fervoroso noite e dia...
prometido fora o paraíso, que lhe seria alcançável;

o tempo... tempo, de espera, que já o exaspera,
dentro de si, à profundeza da mente mergulha,
muitos... muitos sois viu morrerem, cada fagulha,
fome e sede, não lhe eram empecílio sequer,
sentia a brevidade, gritará quando a hora logo vier...
o tempo... tempo, de espera, que já o desespera;

impera o tempo... vazio, o único jamais por ninguém vencido,
lágrimas... barradas friamente num frágil coração ardente,
o grito, lutando voráz por sair, num pio; estridente,
quando intervém a acácia, a dizer de baixo olhar,
não mais suportando aquilo, ter por tanto, omitido,
- seguiram todos, mui longínquos, deixaram lhe a definhar!...

* * *

- ... pois, tu não sabias, como os demais, habilmente voar...
vence o grito, invade o vazio, em cada plumagem,
o chão sussurra, ao cair do cravo, a única paisagem,
lhe restara a morte somente, tal que nunca mente,
a gritar tão loucamente, por vê-lo ao ar de si plenamente;
a pousar, e a pousar... solitário, e tácito, sem lembrar...




2 comentários:

  1. Lindo! Mas me permito um desfecho alternativo... "- seguiram todos, mui longínquos, deixaram lhe a definhar!;[ mas eu nunca o abandonei, nem pretendo, te prometo;
    vem, bata suas asas, me resgate, meu pequeno;
    me segure, não me solte,juntos,voemos, sem medo;
    por padros ensolarados, ou pelos bosques mais hermos;
    voemos juntos,sempre juntos - não há o que temermos]"

    E o pardal descobre que é forte, alça vôo e a ela junto... =) FIm! hehehe

    ResponderExcluir
  2. ps. Minha intenção n foi deturpar o "tom" do poema; mto menos sugerir que minha tosca sugestão seja mais adequada...são apenas devaneios literários; tonterias de Sarah Lelis =) amo vc!

    ResponderExcluir