terça-feira, 22 de maio de 2012

Eu posso ouvir as estrelas



estrelas... posso ouvir me sussurrarem!...
e se eu disser-te o que nos intuíram?!
ao fim comigo irás, se consumarem,
o auge nosso, que um dia destruiram?

noturnos, deslindemos confins férteis,
a subir o palco dos deuses, espantos
ansiando causar, antigos prantos
postos, secos, não mais nos são vis leis!

dê-me sua mão, eu sei, por onde iremos,
o decreto detenho, de outrora,
quando, em outras vidas, nós, embora
fomos, e caminhar sós, por fim tivemos;

crepuscula a eterna treva assídua...
proferem as estrelas, a futurar,
tal trilha que mui além vai, de um tocar
de relis lábios... no céu perpetua;
o decreto do oráculo, o porvir relembrando.




Escrevi no meu trabalho rsrs... :D

Nenhum comentário:

Postar um comentário