quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Cores Livres



por dentre notas, plainando,
veloz como avião,
de carne, um carneiro me sinto,
dentre as nuvens
de vapor e poluição,
oh, úmido branco névoa,
transporta-me a musica,
oh, sou eu um refrão
toca a guitarra
uma nota, soa a distorção,
o espasmo de cores,
a sentir-se ágil leão,
por dentre barreiras saltar,
sua presa a caçar...
aposta com o diabo,
sua salvação...


tuneis de névoa,
veloz perspectiva,
um salto no turvo,
dissonante saltovisão,
rasgam cordas de aço
o silêncio e sua feição,
um solo de distorção,
são livres as cores,
passarada em passarelas
dum ventoestrada,
o tumbar duma nova era,
novo horizonte,
deslumbre em sua entrada...




Nenhum comentário:

Postar um comentário