quarta-feira, 7 de novembro de 2012

O rosto era meu...





eu só queria alguém,
que tivesse apenas uma cara,
dessa manada, alguém além,
assim poderia
eu, despir de negra máscara
meu ego refém...

deveras, deveras,
mil feras, assim sou,
mil eras,
passaram,
mil partiram, definharam,
e dentre tudo, pouco restou,
mas a máscara... a máscara
não se rompeu.
não havia máscara,
o rosto era meu.





























Nenhum comentário:

Postar um comentário