domingo, 31 de março de 2013

Triste pôr do Sol




















sabendo que vou morrer,
no fim do pôr do sol,
lembre-se, terei de partir,
vou para a luz estelar;

prevendo que vou sofrer,
mas, você irá me lembrar,
isso já pudemos prever,
não quero te ver chorar;

meu destino, ter que ir,
e quando eu for chegar,
a noite irá nascer,
na lua cheia verá meu olhar,

sabendo que vou morrer,
no fim do pôr do sol,
não que pra morte eu irei,
mas ao sol meu retornar,

e quando anoitecer,
aqui já não vou mais estar,
amanhã quando eu renascer,
não conseguirei me lembrar,

eu sou um soldado do fogo,
cometendo o proibido,
uma imperial salamandra,
que um humano amor teve vivido,

mesmo que me reconheças,
não sei se vais poder tocar,
minha alma, como este dia tocou,
e em pouco, irá se findar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário