terça-feira, 9 de abril de 2013

Eu e meus delírios infantis




pensei estar cercado, por extraterrestres,
certa noite, eu com uma faca na mão,
ouvia um barulho, bateu-me a porta, fui ver,
era apenas um sapo, bateu na madeira...

e eu pensava, dessa forma desordeira,
à razão, que sempre busquei, sem temer,
até mesmo ateu fui, por um tempo de antemão,
e àquele momento, entregava-me a absurdos destes...

sempre temi a esquizofrenia, é terrível,
porém, tudo que se crê pode ser temível,
vejam milhares de insanos, se matam por templos...

e como este, são assim tais maus exemplos,
por algum momento, apenas, uma vil auto sugestão,
uns passam, outros, após a morte, junto se vão.






Nenhum comentário:

Postar um comentário