quarta-feira, 19 de junho de 2013

Pânico em Mente
























pânico!
colabora a mente, elabora desgraças,
assombração, esquecida às traças,
pânico!
algoz à percepção introjetado,
demônio hiper sensitivo encarado,
pane!
absoluta inércia frente falso perigo,
constante luta perante comigo...
pane!
pane de auto controle, mordaz euforia;
grito de socorro, constante me desafia!

soluçando, em desespero anormal,
tudo afeta, pretende me matar,
externo, ou dentro de mim, mortal,
suposições, raciocínio lógico destrutivo...
perigo eminente, prognóstico intuitivo,
esperava meu fim à velhice, veio-se a antecipar.

química invasora, à espada, o enxadrista,
cavalaria território toma, em visita,
devasta, desmede, derrota, despista,
enfrentá-la em diante, sempre hesita,
trauma, exaspero, sempre que chegado,
sentir contorcer frágil coração...

geladas mãos, se encharcam de suor,
toma o corpo o medo, imobiliza sem piedade,
adormece, uma sarna alastrada,
torturante sensação provinda de pesadelos,
tremem pernas, rigidez sem reação,
sob um moribundo sapateiam ideias controversas;

se cansa,
descansa,
matança
de dizer,
momento
logo após,
se lança
ao silencio;
tudo passou!
e de novo
ele desabou
em cobrança
de algo,
sentimento
qualquer, pois,
um talvez,
sem rima;
fôlego;
vontade...
provável
quiçá uma
coisa trivial,
conformada,
sem valor,
desanimo
foi que restou...



Nenhum comentário:

Postar um comentário