sábado, 7 de setembro de 2013

Pecado Provinciano...



pensando fico eu ensimesmado,
nas pessoas deste lugar, e sua mesquinhez,
em ver-las num inconformismo, à tez,
estampado,
por vezes muitas, infindáveis, invejas cujas,
brotam-lhes consumidoras, como lava,
incômodo no espírito, golpe de clava,
traiçoeiro é o manifesto, das bocas sujas,
refluxo podre, e parasitário,
ácido gástrico dum enlodaçado albatroz,
injurias proclamam em discurso ordinário,
irritante peçonhento timbre de voz.

confabulo quais por quês?
motivos seriam tais, a querer prejudicar?
outrem, que já distante, sequer existe,
rejeitada criatura, por consequência, triste,
consigo mesma, típico à raça, querer arrastar,
rastejar-se a si, se afogar em embarques,
da alheia vida, auto tortura de fêmea vadia,
insensato inseto...

espírito no breu da própria desgraça,
de alento vulgar; os outros foder!
ao menos tentar, que conseguiu; crer,
em certeza fincar-se, de únicas não serem,
prejudicadas ao vício da estupidez, padecerem,
num fundo poço, onde haja vidraça,
perspectiva esvaziadora... feia...
pecado provinciano...




Nenhum comentário:

Postar um comentário